Educação: Pais podem reduzir número de acidentes no trânsito

Educação: Pais podem reduzir número de acidentes no trânsito

O Brasil é o 5º país no mundo com mais mortes relacionadas à direção imprudente. Uma pesquisa recente​ mostrou que, no País, jovens entre 18 e 25 anos são os motoristas responsáveis pela maior parte dos acidentes envolvendo perda total do veículo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os acidentes de trânsito são a principal causa de morte de jovens no mundo.

É possível mudar esse dado? O que faz a diferença na prevenção de acidentes envolvendo jovens? Políticas públicas educativas são de extrema relevância, assim como o papel dos pais e responsáveis pela formação consciente dos jovens em relação à direção segura. Conheça algumas dicas que podem ajudar nesse processo:

1. Não subestime o valor da autoescola

É comum no país que muitos pais ajudem seus filhos a “burlar” a autoescola e até mesmo o exame de direção, prática que, além de ilegal, pode colocar muitas vidas em risco. É na autoescola que o jovem condutor irá aprender sobre as leis de trânsito, entender as consequências de um acidente grave e conhecer as boas práticas da direção defensiva. Pular essa etapa do processo pode comprometer a relação do jovem com o volante.

2. Seja o exemplo

​Nos Estados Unidos, algumas autoescolas exigem que os pais estejam presentes na primeira aula também, para que possam aprender como dar um exemplo positivo aos seus filhos. Isso pode ser revelador para adultos, que acabam percebendo que possuem maus hábitos de direção há anos enquanto seus filhos observam.​

Se você se identificou com esse caso, saiba que não é o único. As estatísticas sobre os hábitos de direção de adultos são surpreendentes. Um estudo mostrou que 91% dos pais falam ao telefone enquanto dirigem, e 59% enviam mensagens de texto. Cerca de 20% dos pais admitiram que já dirigiram sob a influência de álcool, 49% já dirigiram sem cinto de segurança, e mais de 88% dirigem acima do limite de velocidade.​​

3. Converse sobre os riscos de beber e dirigir

Os novos motoristas precisam entender os perigos que ingerir bebidas alcoólicas e depois dirigir podem causar. Esse é um dos principais fatores responsáveis por acidentes de trânsito, principalmente entre jovens, sem contar que a prática, no Brasil, é considerada um crime.​

Deixe claras as regras e as consequências caso seu filho seja pego dirigindo embriagado, incluindo multas, prisão e a perda da carteira de motorista. Ao conversar sobre a pressão de amigos e colegas sobre beber, certifique-se em falar sobre como lidar com um amigo que bebeu e quer dirigir.

4. Converse sobre dirigir com sono​

Dirigir com sono pode afetar o julgamento, a visão, a coordenação e o tempo de reação tanto quanto álcool e drogas. Um estudo da National Sleep Foundation, nos Estados Unidos, mostrou que pessoas que dormiram duas ou menos horas nas últimas 24 horas não têm condições de dirigir e quatro ou cinco horas de sono em 24 horas ainda deixam os motoristas “significativamente debilitados”. A fundação também diz que mais da metade dos acidentes causados por sono envolvem motoristas com idade inferior a 25, portanto essa é uma pauta que não deve ser deixada de lado.

5. Elimine as distrações​

​De acordo com estatísticas, a condução distraída é responsável por mais da metade dos acidentes envolvendo novos motoristas. Uma pesquisa mostrou que 90% dos jovens falam ao celular enquanto dirigiam e 78% disseram que já enviaram mensagens de texto.​

​Mas os celulares não são o único problema. Amigos no carro, música e olhar alguma coisa dentro do veículo estão entre os principais culpados, representando 37% dos acidentes causados por motoristas distraídos.​

FONTE: REVISTA APÓLICE (adaptado)

IMAGEM: Uber Brasil

Adicionar Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados são requeridos *